O escafandro e a Borboleta

Olá! Bom..primeiramente quero dizer que fiquei MUITO feliz com os comentários do post anterior..que bom que vocês gostaram da sessão destaque! do meu novo fundo do blog..aaah, fiquei mto feliz mesmo! *—* e quero avisar que vou fazer um destaque toda sexta feira 🙂 para você que não saiu nos destaques anteriores..relaxe haha.

Bom..agora quero falar um pouco sobre um filme que assisti ontem.. O escafandro e a Borboleta.

sinopse: Jean-Dominique Bauby (Mathieu Amalric) tem 43 anos, é editor da revista Elle e um apaixonado pela vida. Mas, subitamente, tem um derrame cerebral. Vinte dias depois, ele acorda. Ainda está lúcido, mas sofre de uma rara paralisia: o único movimento que lhe resta no corpo é o do olho esquerdo. Bauby se recusa a aceitar seu destino. Aprende a se comunicar piscando letras do alfabeto, e forma palavras, frases e até parágrafos. Cria um mundo próprio, contando com aquilo que não se paralisou: sua imaginação e sua memória.

Agora…o meu ponto de vista sobre o filme..

Primeiramente, para alguém que quer um filme super excitante e com muita ação ou que prenda a atenção do começo ao fim, não assista, é o tipo de filme que não ocorre muitas mudanças.. não se troca muito de cena… diria que não é um filme movimentado, nem que toque PROFUNDAMENTE uma pessoa.. porem, achei a história realmente comovente, vale a pena assistir, mas prestando muita atenção.. é uma verdadeira lição de vida, muitos de nós não damos o devido valor a certos acontecimentos de nosso dia-a-dia, até mesmo valor ao simples fato de poder andar, poder dar bom dia, poder sentir um abraço ou abraçar alguém, e o Jean começa a dar valor a tudo isso quando ele perde seus movimentos, não poder dar um abraço nos filhos em pleno dia dos pais deve ser realmente uma sensação muito triste a que ele sentiu, é um filme bem realista, e o Jean é uma admiração a ser seguida, ele se esforçou e escreveu um livro apenas piscando para “soletrar” as letras, mostrou que há outros modos de se comunicar, por mais dificeis que sejam.

É isso… espero que assistam, espero que gostem ou que pelo menos, assim como eu, parem pra pensar um pouco na vida, se estamos deixando coisas pequenas e importantes passarem por nossas vidas despercebidas, fale com alguem hoje, pule, corra, grite, pisque… sinta o vento esfriar a ponta do nariz, aproveite suas sensações…porque, assim como o Jean, muitos não podem mais fazer isso. =/

bjsbjs!

Advertisements

6 thoughts on “O escafandro e a Borboleta

  1. esse filme parece ser bem emocionante, mas não gosto muito de filme de drama, doenças incuraveis, etc.
    obrigda por retribuir o comment , volte sempre! *–*
    bjs

  2. Oiii Naty… concordo c a Fêe ae em cima eu naum sou mtoo de drama, mas msmo assim se eu tiver oportunidade vou ver esse filme! Eu naum sou mto de drama pq eu choro mtoooo…hauhauhauha
    bjosssssssssssssssssssss

  3. Nossa, deve ser horrível perder todos os movimentos do corpo e só poder piscar. Lendo o seu texto, fiquei imaginando aqui a situação, principalmente a de não poder abraçar o filho em pleno dia dos pais. Deve ser péssimo querer fazer algo e não poder, não conseguir. Ai, realmente, é uma história para refletir! Forte! UAU! :O
    Beijocas

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s